“Para Todos os Garotos Que Já Amei” Ganhará Filme

Olá, leitores!
Eu estava navegando pela internet e me deparei com esta notícia: “Para Todos os Garotos Que Já Amei” da Jenny Han, finalmente, ganhará uma adaptação cinematográfica!
Corri para confirmar a notícia e procurar por mais informações.
Descobri que as filmagens já estão acontecendo desde o começo deste mês, em Vancouver, e que o elenco já foi escalado.

Para Todos os Garotos Que Já Amei” é o primeiro livro de uma trilogia, e todos os livros já foram traduzidos e lançados aqui no Brasil pela Editora Intrínseca.

25449676.jpg

SINOPSE:
Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.

Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

De acordo com a página no IMDB, estes são os atores já escalados no elenco:

Lara Condor como Lara Jean Covey
Janel Parrish como Margot Covey
Anna Cathcart como Kitty Covey
Noah Centineo como Peter Kavinsky
Israel Broussard como Josh Sanderson
Andrew Bachelor como Greg
John Corbett como Dr. Covey
Entre outros..

Lara Condor é mais conhecida por seu papel em X-Men: Apocalipse como Jubilee. Assim como Janel Parrish é conhecida pelo seu papel de Mona, em Pretty Little Liars.

O filme ainda não tem data de estreia. Porém, a autora está atualizando seu Twitter com novidades e fotos das gravações; como estas:

2560x1440-white-solid-color-background.jpg

Estou muito ansiosa pela adaptação. Creio que será tão fofo e incrível quanto os livros.
Quem mais está animado com a notícia?

Trechos de “By Your Side” da Kasie West

Olá, leitores!
Recentemente, postei a resenha de “By Your Side” e lá, discuti o quanto gostei desse livro.
A Kasie West tem uma escrita muito fluida e recheou o livro com trechos que valem a pena serem destacados.

O livro ainda não está disponível em português, então os trechos estão traduzidos.

quote6.jpg

quote1.jpgquote5.jpg
quote4.jpgquote2.jpg

Maratona Literária de Inverno 2017 Update #2

Olá, leitores!
Hoje é o terceiro dia de #MLI2017 e posso dizer que esta maratona está sendo um sucesso para mim.
Finalmente a ressaca literária está bem longe e estou conseguindo manter o ritmo de leitura.

Ontem, consegui completar mais um desafio:

LIVRO QUE COMPREI PELA CAPA: Check ✓

O Curioso Caso de Benjamin Button” tem apenas 51 páginas e apesar de ser um clássico, tem um ritmo rápido e fácil de se compreender.
Este livro estava na minha lista de desejados há muito tempo e fiquei muito animada ao saber que seria lançado pela Folha de São Paulo.
Sei que muitos já devem saber sobre o que o livro se trata, porém deixarei a sinopse dele por aqui.

SINOPSE:
Quando o pai de Benjamin Button chega ao hospital, ele fica surpreso e vergonhado ao descobrir que seu novo bebê, é um homem envelhecido, aparentando não ter menos de setenta anos. Com o passar do tempo, o jovem Benjamin não precisa mais de uma bengala, o cabelo deixa de ser cinza, seus membros ficam menos frágeis, suas rugas menos profundas, à medida que envelhece para a infância e além …

Nascer, crescer, envelhecer e morrer são etapas de todo destino e só a ficção permite imaginar outros rumos. F. Scott Fitzgerald (1896-1940) fantasiou a inversão da seta do tempo em “O Curioso Caso de Benjamin Button”, a saga de um homem que nasce velho e morre bebê.

Eu não fazia a menor ideia do que esperar, já que não havia assistido ao filme.
Mesmo assim, o livro me surpreendeu.
Foi uma leitura muito agradável e de certa forma, triste. Sem dúvidas, eu recomendo ler esta obra.
Agora retomarei a leitura de “Sete Minutos Depois da Meia-Noite” do Patrick Ness.
Por enquanto, eu li 40 páginas. Creio que conseguirei terminá-lo ainda hoje.

Top 5: Lidos Até Agora (2017)

Ainda estamos em Julho, mas já tenho uma lista com os melhores livros que li até agora.
Para ser mais exata, esses foram os únicos livros nos quais eu dei 5 estrelas.

2560x1440-white-solid-color-background.jpg

TOP 1:Furthermore” by Tahereh Mafi

A Tahereh Mafi é a minha autora favorita e não penso duas vezes em pegar um novo livro dela sem ao menos saber a sinopse. A escrita da autora é simples, mas ao mesmo tempo, cheio de detalhes. Sem falar que as personagens sempre têm uma personalidade que chama atenção e encanta os leitores.
“Furthermore”, apesar de ser um livro voltado mais às crianças, conseguiu me prender até o final e me fazer apaixonar pela personagem principal. Estou contando os dias para o lançamento da continuação, que sai ainda este ano, nos EUA.

TOP 2:All In” (The Naturals #3) da Jennifer Lynn Barnes

“All In” é o terceiro livro da quadrilogia The Naturals. Essa série me foi apresentada através de uma amiga no Instagram e eu acabei me apaixonando. O cenário, o enredo, o desenvolvimento dos personagens, a criatividade da autora; tudo é perfeito e na medida certa.
Ainda estou na espera de alguma editora brasileira traduzir esses livros. A Jennifer é uma das melhores autores que já conheci e mais pessoas deveriam conhecer seu trabalho.

TOP 3:The Witches of the Glass Castle” da Gabrielle Lepore

“The Witches of the Glass Castle” é o primeiro livro de uma duologia e o primeiro livro sobre bruxas que li. Peguei esse livro sem nenhuma expectativa e acabei me impressionando. O mundo que a autora criou e o enredo são tão cativantes, que te prendem até o final. Sempre querendo saber o que vai acontecer a seguir.
O segundo livro já está disponível e estou muito ansiosa e com um frio na barriga de reencontrar meus personagens favoritos.

TOP 4:Nós” do David Nicholls

“Nós” é outro livro que eu não tinha nenhuma expectativa. Várias pessoas me falaram que esse livro era muito chato ou ruim. O que não ajudou muito, já que eu não gostei de “Um Dia”. Enfim, eu decidi iniciar a leitura e tirar as minhas conclusões.
Para minha surpresa, eu adorei o livro. Sim, é muito longo, cheio de detalhes e capítulos infinitos; tornando o livro até mesmo cansativo. No entanto, o conteúdo do livro e as lições que ele traz aos leitores, é muito preciosa. A relação pai e filho que o autor descreve é complexa e bonita de se ver.
Terminei a leitura admirando o autor pela sensibilidade da escrita e pelos detalhes infinitos que ele deu sobre os lugares da viagem. Senti como se eu estivesse junto com as personagens, na turnê deles pela Europa.

TOP 5:Pequenas Grandes Mentiras” da Liane Moriarty

Esse foi o segundo livro que li da autora e só tenho que elogiar. A Liane tem uma escrita refinada e explora assuntos mais pesados; diferente do que leio normalmente.
A autora consegue prender o leitor até a última página, fazendo-o imaginar quais são os segredos, quem é o assassino e o mais importante, em quem confiar.
“Pequenas Grandes Mentiras” é uma leitura na qual você precisa focar, ligar os pontos e entrar na mente de cada personagem.

Como esses foram os únicos livros que li este ano e que dei 5 estrelas, a escolha de TOP 5 não foi tão difícil. Estou na expectativa de que no restante do ano, eu leia livros ainda mais maravilhosos e que entrem para a minha lista de favoritos.

E quanto a vocês? Já possuem um TOP 5 nesse primeiro semestre?

Maratona de Inverno 2017 Update #1

Olá, leitores!
Como eu disse em um post anterior, estou participando da #MLI2017 e hoje a maratona teve o seu início.
Eu fiz a escolha certa em começar por “By Your Side” da Kasie West. Eu consegui terminá-lo muito rápido e amei o livro.

Ou seja, o primeiro desafio da maratona está completo:

LIVRO COM A CAPA AZUL: Check ✓

O livro foi lançado este ano nos Estados Unidos e ainda não está disponível em português. Espero que seja traduzido em breve para que mais pessoas possam ler essa obra.
Por enquanto, deixarei a sinopse dele, em português.

SINOPSE:
Quando Autumn Collins percebe que foi acidentalmente trancada na biblioteca e terá que passar o final de semana, ela pensa que nada mais pode dar errado.
Isso foi antes dela perceber que Dax Miller está trancado com ela. Autumn não sabe nada sobre Dax, além de que ele é problema. Entre os rumores sobre uma briga envolvendo ele e sua reputação de solitário, Dax não é exatamente o tipo de pessoa para se ficar preso junto.
Mesmo assim, ela se mantém positiva e com o pensamento de que é uma questão de tempo até que seu quase namorado, Jeff, perceba o seu sumiço e vá até a biblioteca para resgatá-la.

Porém, ele não aparece. Ninguém aparece.

Autumn percebe que terá de passar os próximos dias vivendo de uma máquina automática de comida e conversar com o garoto que, claramente, não quer nada com ela.
Exceto, que Dax parece ser mais complexo do que aparenta.
Quando o garoto e Autumn vão se abrindo um para o outro, mesmo que de má vontade, Autumn acaba se surpreendendo com a rápida conexão entre os dois.
Será que os sentimentos entre eles sobreviverá quando o final de semana acabar, Autumn voltar para a antiga vida e seu antigo interesse amoroso, ameaçarem afastá-la de Dax?

Esse livro tem uma leitura super rápida, divertida e com um inglês fácil para quem quiser arriscar. Em breve, postarei a resenha dele aqui no blog e compartilharei mais de minha opinião.
Agora irei começar a ler “Sete Minutos Depois da Meia-Noite” do Patrick Ness.
Estou com altas expectativas para esse livro e espero não me decepcionar.

E vocês? Como está indo a maratona até agora?

Livros Que Li Até Agora

Olá, leitores!
No começo do ano, eu determinei no Goodreads uma meta de ler 55 livros durante o ano. É um número razoável e com organização, fácil de se alcançar. No entanto, a ressaca literária me atingiu várias vezes e as minhas leituras estão atrasadas.
Ou seja, tentarei participar de várias maratonas literárias para manter o ritmo e finalizar o ano com a minha meta cumprida.

Essa é a lista de livros que li até agora em 2017, na ordem de leitura:

1. All In (The Naturals #3) da Jennifer Lynn Barnes
2. O Livro Secreto do Grégory Samak
3. A Hora e Vez de Augusto Matraga do João Guimarães Rosa
4. O Presente do Meu Grande Amor da Stephanie Perkins e outros autores
5. Waterloo: Napoleão Bonaparte do Cássio Starling Carlos
6. A Garota do Calendário: Janeiro da Audrey Carlan
7. Érica da Larissa Barros Leal
8. Pequenas Grandes Mentiras da Liane Moriarty
9. Illuminae da Amie Kaufman e Jay Kristoff
10. What Light do Jay Asher
11. Battle Royale do Koushun Takami
12. O Garoto dos Olhos Azuis (Encantados #1) da Raiza Varella
13. Wilde: O Primeiro Homem Moderno do Cássio Starling Carlos
14. Furthermore da Tahereh Mafi
15. O Filho da Natureza da Isis L. M. J.
16. The Fixer (The Fixer #1) da Jennifer Lynn Barnes
17. The Witches of the Glass Castle da Gabriella Lepore
18. Van Gogh: Vida e Obra de um Gênio do Cássio Starling Carlos
19. Pais e Filhos do Jean Carllo
20. Nós do David Nicholls

Estamos em Julho, e até agora, consegui ler 20 livros. Ainda faltam 25 livros para eu alcançar a minha meta, mas não estou com pressa.
Esse ano está sendo bem corrido e encaixar a leitura no dia-a-dia está cada vez mais difícil.
Infelizmente, nem todos os livros lidos por enquanto, foram bons. Isso me desanimou um pouco e com certeza foi um dos fatores para a minha constante ressaca literária, mas acredito que, daqui para a frente, escolherei livros melhores que incentivarão a minha leitura.

Em breve postarei um TOP 5 desta lista. Nem todos os livros lidos me agradaram, mas, com certeza, tiveram livros maravilhosos e que se tornaram os meus favoritos de 2017!

Quantos livros vocês leram até agora e quais foram os seus favoritos?

Aprendendo um novo idioma

Olá, leitores!
Há muito tempo, eu queria compartilhar o meu histórico de aprendizado de idiomas, e o post de hoje é sobre isso.
Na verdade, esse vai ser o primeiro post sobre o tema: Como aprender uma nova língua.
Não apenas para o idioma que estou aprendendo no momento, mas também para o inglês e/ou línguas em geral.

O foco deste post é incentivar as pessoas que querem aprender uma língua e não sabem por onde começar ou precisam de inspiração. Eu sei que parece ser muito complicado no início, mas posso lhe garantir que melhora e o resultado é gratificante.

Então vamos começar!
Desde criança, meu sonho era aprender várias línguas. Eu não sabia o que faria ou que carreira seguiria, mas uma coisa eu sempre tive certeza, e era ser poliglota.
Aos 11 anos eu me interessei pela língua japonesa e comecei a estudar por conta própria com um material que eu tinha em casa, que minha prima trouxe do Japão.
Como descendente de japoneses, a minha curiosidade para entender o que alguns dos meus familiares diziam, só crescia. Meu pai vendo o meu interesse, logo me matriculou em um curso. Estudei por quase 3 anos e, infelizmente, tive que sair devido a carga horária sobrecarregada.
Eu obtive um grande progresso com a língua japonesa e subia de nível no curso a cada mês. Porém, como parei de estudar por todos esses anos, eu já não me lembro de quase nada. Sei apenas ler, sem saber o significado.

Já com o inglês, foi um pouco diferente. Até o ensino médio, eu não fazia ideia de como as pessoas conseguiam entender tal língua e o ensino nas escola não ajudou em nada.
No entanto, eu sempre gostei e admirei o inglês. Até hoje, acho as palavras bonitas e simples.
As coisas mudaram assim que eu ganhei um computador e conheci o mundo das séries de televisão e filmes americanos. Além das músicas, as séries me fascinavam e eu acompanhava várias. Todas com legenda em português. Aproximadamente, 2 a 3 anos depois, eu notei que já entendia tudo o que os personagens falavam.
Percebendo o meu avanço, tentei pegar livros com um inglês fácil para treinar mais.
Hoje em dia, a maioria dos livros que leio, são em inglês. Já não preciso mais de legendas e consigo traduzir, tranquilamente, qualquer coisa que me perguntarem.
É a mais pura verdade aquela frase que as pessoas falam: “Você se torna fluente, quando começa a pensar na língua e não precisar traduzir”.
Aprender inglês foi uma das melhores coisas que fiz e me orgulho ao dizer que aprendi sozinha, sem nenhum curso.

Já o espanhol, apesar de ser uma língua um pouco mais fácil e familiar, eu tive mais dificuldade. Acabei fazendo um curso online que o Governo oferecia enquanto eu estava no Ensino Médio. O curso era simples, porém de boa qualidade.
Eu não lembro de muita coisa, mas consigo me virar ao ler ou escutar alguém falando.
Até hoje, não consigo entender como aprendi inglês, mas espanhol me confunde tanto.
Eu começo a falar em espanhol e acabo terminando em inglês. A falta de prática com certeza está relacionada.
Futuramente, pretendo ler mais livros em espanhol e acompanhar Youtubers para aperfeiçoar a leitura, audição e dicção.

Agora, alemão. Fiquei animada ao saber que meu pai já estudou a língua quando mais novo e tem alguns livros guardados por aqui. Eu fico fascinada ao ver alguém falar ou escrever em alemão. Eu não sei nada da língua, além de saudações e algumas palavras.
Alemão é uma das línguas que eu mais queria aprender durante a adolescência e estava focada para começar meus estudos este ano. Teria dado certo, mas acabei me apaixonando por outra língua e decidi deixar o alemão para depois.
Aprender essa língua em específico, é um pouco mais complicado. Eu conheço poucos livros que foram escritos em alemão e a disponibilidade de filmes ou séries com legendas, é muito baixa. Esses fatores, com certeza, dificultam mais e a persistência é necessária.

Por fim, a língua que eu queria falar e que agora tem um espaço só para ele aqui no blog. O coreano! Só agora eu notei quantas coisas relacionadas à Coréia eu já conhecia e simplesmente não percebia. Uma das minhas tias adora assistir aos doramas, a Lane de Gilmore Girls fazia o papel de uma descendente coreana, e um dos meus salgadinhos favoritos, é importado da Coréia.
Mas, o que mais mais me chamou atenção, foi a música coreana, o K-POP.
Há alguns anos, eu conheci alguns grupos como Super Junior e Girls Generation, porém foi algo passageiro e não acabei me viciando e nem procurado por mais músicas.

Foi neste ano, em Fevereiro, para ser específica, que mergulhei de cabeça. Como disse em um post anterior, enquanto eu estava no Youtube, achei um grupo chamado BTS (Bangtan Sonyeondan) e acabei clicando para ver sobre o que se tratava. Mal eu sabia que era um caminho sem volta. Em questão de dias, eu já havia decorado todas as músicas e conseguia acompanhar as letras. Fui conhecendo mais grupos, o processo se repetia e se repete até hoje.

Eu me apaixonei pela língua e como as palavras soam tão bonitas e com um maior significado quando não traduzidas. Além da dicção ser tão pacífica e harmoniosa.
Fui pesquisando ainda mais e passei a respeitar e admirar a cultura e tradições do país.
Comecei a acompanhar alguns K-Dramas como: Strong Woman Do Bong-SoonHwarang: The Beginning. E eu achava que as séries americanas eram viciantes.
Com esses seriados e vídeos no Youtube, acabei aprendendo algumas expressões por conta da repetição. E claro, fiquei curiosa para saber como se escreve e como era o alfabeto coreano (hangul). Fiquei tão focada em entender e tentando escrever algumas coisas, que acabei decorando o alfabeto em 3 dias.

AFullTimeReader.JPG
Agora estou na mesma situação que o japonês. Sei ler, porém não sei o significado.
Só que desta vez, as séries e músicas estão ao meu favor, assim como o inglês estava; junto com a minha vontade de aprender ainda mais sobre a língua.
Aos poucos, estou aproveitando o tempo livre para estudar, treinar a escrita e não perder a prática.

Tendo isso em mente, decidi criar um espaço no blog para os meus estudos e uma espécie de diário. Coreano não é uma das línguas mais fáceis de se aprender, então todas as armas e artimanhas, são bem-vindas!
Além do mais, muitas pessoas estão interessadas em aprender um idioma novo. Tanto por ser necessário, quanto por gosto. Os métodos de aprendizagem são semelhantes.
A única mudança, é o idioma. Meu intuito é aprender e ao mesmo tempo, dar dicas àqueles que estão estudando. Independente da língua.

Esse post ficou muito maior do que eu esperava, mas queria compartilhar toda a minha história, com detalhes. Essa sessão no blog vai ser literalmente como um diário e se de alguma forma inspirar alguém ou fazer com que alguém se interesse pela língua, ficarei ainda mais feliz.
Obrigada por ter me acompanhado até aqui e até o próximo post.

CURIOSIDADE: Na minha opinião, o coreano é mais fácil que o japonês, pelo menos em relação à escrita. Explicarei mais em breve.